"SANTA"

Fascinação, o que é fascinação? Algo que me causa arrepio na pele por este teu jeito de menina num corpo de mulher, que me enche de desejos. Não sei direito, mas, to achando que isso é a raiz de um amor.

VANDA CARLA…

VANDA CARLA…

A gente já se conhecia de vista, tínhamos amigos em comum, sempre que tinha festas, ela sempre estava, nos cumprimentávamos, mas nunca paramos para conversar.

Uns amigos organizaram um churrasco, e chegando lá me deparei com ela.

Sempre que eu a via, ela sempre estava com a mesma roupa, que era um macacão preto e branco, porém nessa festa, quando eu me cheguei nem reconheci ela, estava bem diferente. Ela estava com um vestido que batia na coxa, um tênis e um corpo que ela não tinha. Ela era bem magrinha, e nesse churrasco ela estava com um corpo muito gostoso.
Cheguei no churrasco, e coloquei as coisas que eu levei onde estava os meus amigos, e desde quando eu cheguei percebi que ela estava me olhando, e sempre comentado com as amigas, e rindo, mas não aquela risada de deboche, sim aquela risada bem safada, que no final , sempre dava uma mordida nos lábios.
Passei cumprimentei todo mundo até quem eu não conhecia, e estrategicamente eu deixei ela por último.
Quando cheguei até ela, ela veio me dar a mão, só que eu peguei ela e puxei e dei nela um abraço, deixando ela surpresa. No abraço eu deslizei as mãos pelas costas dela e percebi que ela se arrepiou toda. Dei um beijo no rosto bem perto da boca, e deu para sentir a respiração dela bem ofegante. Mesmo sendo só um beijo no rosto e um abraço, deu para perceber que ela já estava de má intenção.
Sai de perto dela, e fui conversar com uns amigos, e quando eu saí ela também saiu e foi no banheiro. Quando ela voltou, vi ela abanando a mão e dizendo para uma das amigas dela, que a pressão dela até baixou com meu abraço. Ela percebeu que escutei, olhou para mim, e eu dei um sorriso, e ela sorriu de volta. Nessa hora a minha mente começou a imaginar formas de chegar nela discretamente, e pedir sei lá o telefone dela, ou alguma coisa para a gente se falar depois dali.
O churrasco rolando e eu conversando com os meus amigos de um lado, e ela em um canto sentada, até que começou a tocar uma música, e ela bem discreta veio para minha frente e começou a dançar, como era funk, ela começou a rebolar bem na minha frente. O pessoal que estava comigo percebeu e começou a falar, que ela estava fazendo para provocar. Bom eu entendi o recado, e quando ela parou de dançar, eu fui pegar uma bebida, e ela veio atrás. Quando a gente estava pegando bebida, eu brinquei e disse que mais um pouco ela me matava. Ela sorriu e disse que a intenção não era matar, mas sim provocar outras coisas, então eu perguntei quais coisas? Ela sorriu e saiu.
Eu tive que ir embora pois no outro dia eu ia trabalhar bem cedo e ainda ia malhar.
Passou uns dias, e um número estranho me manda mensagem, e logo em seguida me liga, e como onde eu trabalhava, as vezes eu não podia mexer no telefone, eu não atendi nem respondi de imediato. Como era um áudio, nem para ouvir dava. Então esperei ter um tempo para ouvir e responder. Nesse dia tive 3 reuniões importantes, então mexer no telefone estava fora de cogitação.
Sai para almoçar, e resolvi escutar o áudio para ver o que era, e quando vi era um áudio dela que dizia assim. Nossa nem me deu um beijo quando foi embora, agora está me devendo dois beijos. Eu mandei mensagem e perguntei quem era, já sabendo quem era rs. Ela me respondeu dizendo quem era, e aí começamos a trocar mensagens.
Cheguei em casa e ela tinha me mandado algumas mensagens. Comecei a responder as mensagens.
Papo vai papo vem, começamos a entrar em uns assuntos mais quentes. Ela me falou que já tinha escutado algumas coisas sobre a minha pessoa na cama, e eu perguntei o que ela tinha escutado, que talvez poderia ser mito ou mentira. Aí ela respondeu, que só provando para saber. A conversa começou a ficar quente num ponto que eu cheguei pra ela e falei, me conta seus segredos e desejos, e ela começou a falar as coisas que ela tinha vontade de fazer, porem nunca tinha tido coragem de experimentar.
Primeiro ela me falou que queria ser totalmente dominada, ser bem maltratada, ser tratada como uma puta na cama, que ela tinha essa curiosidade de sentir uma pegada mais forte, e disse que o que tinham falado de mim era isso, que eu pegava bem forte.
Depois ela me disse que tinha vontade, mas tinha receio de ser amarrada ou algemada tanto os pés quanto as mãos, e ser usada e abusada de todas as formas, e de uma forma bem forte, tão forte que, ela sairia até fraca dessa transa. Ela disse que olhando para mim, vendo que eu tinha cara fechada, ela imaginava coisas surreais depois que a gente se conheceu.
Perguntei para ela, qual era os medos dela em ser dominada, ela só disse que tinha medo de dar o cu e não aguentar, mas que era forte e mesmo não aguentando faria um esforço para aguentar.
Quando ela me perguntou meus desejos e segredos, eu nem fiz rodeio, simplesmente falei assim. Meu desejo é dominar você. Ela riu e disse que já tinha um tempo que queria sair comigo, e eu disse vamos marcar um dia. Como eu trabalhava, resolvemos marca um fim de semana. A gente nem foi para um lugar muito badalado. Entramos em acordo e resolvemos ir ao cinema.
No dia me arrumei coloquei aquele perfume bem foda, e fui buscar ela. Quando cheguei na porta da casa dela, para minha surpresa ela estava com um vestido não muito curto, mas que era bem sexy, marcava muito bem o corpo dela, e que corpo. Eu percebo bem as coisas, e como o vestido dela era bem colado, deu para perceber que ela estava sem calcinha.
Ela entrou dentro do carro e eu a elogiei, e não nos beijamos logo de cara, foi aquele cumprimento de beijos no rosto, mas eu já estava na maldade, e bota maldade nisso.
Fomos para um shopping e como a nossa sessão era última, a gente chegou lá e fomos ver algumas coisas até do tempo de a sessão iniciar. Eu não parava de olhar para o corpo dela, toda hora a deixava ir na frente, para eu olhar a bunda dela. Chegou um momento que não tinha nem como disfarçar mais e ela percebeu.
Ela me pegou pelos braços e me fez abraçar ela por trás, fazendo ela sentir meu pau que estava meio duro já. Ela chegou bem baixinho e de costas para mim e disse. Você está me comendo com os olhos, e eu já tão totalmente molhada só de imaginar o que você vai fazer comigo quando a gente sair daqui. O detalhe é que a gente ainda não tinha nem nos beijado.
Quando deu a hora do filme, fomos para fila e vimos que não tinha quase ninguém para ver o filme, e todo mundo já estava entrando, a gente era os últimos da fila. Deixamos todo mundo entrar, e cinema de shopping sempre tem um corredor escuro antes de entrar na sala, e nesse corredor escuro eu a agarrei e dei nela um beijo. Foi um beijo rápido. Como não tinha quase ninguém na sala, o pessoal me sento bem espalhado, e onde a gente sentou que era as duas últimas cadeiras, não tinha ninguém do lado, e não dava para ver nada do que a gente fazia.
O filme começou e a gente não estava nem aí para o filme. Ela começou a beijar minha boca dando aquelas mordidas bem safadas. Enquanto a gente se beijava uma das minhas mãos percorria as coxas dela, e a outra segurava ela pela nuca bem forte para mostrar para ela quem estava no controle da situação. Eu fui subindo minha mão nas coxas dela bem devagar, fazendo ela suspirar e soltar leves gemidos, até minha mão chegar na buceta dela, que já estava totalmente encharcada. Ela estava me deixando louco, porque toda hora ela falava, que meu beijo era o melhor beijo que ela já tinha experimentado, e que meu beijo estava deixando-a tão molhada que se ela não estivesse no cinema, ela já estaria sentada com meu pau socado bem fundo na buceta dela. Quando ela pegou no meu pau por cima da calça ela foi apalpando e falando que teria que ser forte, porque hoje ela voltaria para casa toda arrombada. Eu não o resisti e tirei para fora e fiz ela me chupar no cinema, ela nem resistiu, simplesmente se abaixou e colocou bem devagar na boca. Eu estava com tanto tesão, que ela começou a chupar, e quando ela deu a segunda engolida, eu gozei na boca dela, porém meu pau estava todo dentro da boca dela, bem fundo mesmo, então quando gozei, gozei na garganta dela. O filme tinha acabado, mas eu mesmo depois de ter gozado, estava com um puta tesão.
Saímos do shopping e bem perto do shopping tinha um motel, eu não conhecia, mas tinha umas suítes que eram com o tema sadomasoquista. Pegamos uma suíte dessa, e quando entramos no quarto, vimos que era um quarto bem temático, com gaiolas algemas chicotes essas coisas, e como ela queria ser dominada, eu resolvi mostrar para ela um pouco de dominação. Sabia que ela estava com muita vontade. Fiz ela entrar na gaiola ainda de roupa, e prendi ela lá dentro, e com ela presa lá dentro, comecei a me masturbar, fazendo ela assistir, e todas as vezes que ela colocava a mão para fora para pegar no meu pau ela tomava uma chicotada, pensei até que ela não gostaria, mas ela acabou gostando.
Quando soltei ela, ela se sentou na cama e ficou de pernas abertas. Eu cheguei perto dela, e tirei o vestido dela, e confirmei que ela estava sem calcinha, na verdade ela estava sem nada por baixo do vestido. Na cama tinha aquelas correntes que no final eram umas algemas, e algemei ela na cama de perna aberta. Ela estava deitada de barriga para cima, com os braços para cima algemados, e eu regulei as algemas das pernas, para ela fica totalmente arreganhada para mim.
Depois que prendi ela bem, peguei um chicote, e não com muita força, comecei a chicotear a buceta dela, perguntando se era isso que ela queria. Para ela aquilo estava tão excitante que ela estava gemendo como se eu estivesse comendo a buceta dela. Cada chicotada que eu a dava gemia e se contorcia na cama, como se meu pau tivesse lá dentro da buceta dela.
Resolvi judiar mais um pouco e além das chicotadas, eu coloquei dois dedos na buceta dela, fazendo ela se contorcer mais ainda. Eu não queria parar, eu queria ver até onde ela aguentava. Só que ela estava tão molhada, que me deu vontade de chupar. Quando cheguei bem perto da buceta dela, ela já estava com tanto tesão, que eu nem encostei e ela gemeu e se contorceu. comecei a chupar como se estivesse beijando de língua e vi ela se revirar na cama tentando se soltar de tanto tesão. Como ela estava com muito tesão não demorou para ela falar que iria gozar. Quando ela falou eu parei, soltei ela e falei para ela ficar de 4 que eu iria algemar ela nessa posição. Ela já estava totalmente rendida. Prendi ela de forma que a buceta dela ficasse totalmente aberta, e com ela de 4 comecei a pincelar o pau na buceta dela, porém não me contentando só com a buceta, eu pincelei a entrada do cu dela, fazendo ela estremecer toda. Ela já estava louca de tesão, implorando para que eu socasse o pau nela, mas como eu queria provocar, fiquei um tempo pincelando o pau na buceta dela, colocando só a cabeça do meu pau fazendo ela gemer cada vez mais forte. Eu revezava entre as pinceladas, e as chicotadas na bunda dela, que ficou toda marcada. Quando comecei a penetrar meu pau bem devagar, ela estava com tanto tesão, que ela começou a gozar. Mas foi uma gozada tão forte, que ela se tremia toda. Resolvi soltar ela para ver o que ela ia fazer. Ela me sentou na pontinha da cama, e de 4 ela veio engatinhando até meu pau, e colocou ele todo na boca, com uma das mãos ela acariciava minhas bolas e com a outra ela batia uma para mim com meu pau todo na boca dela. Vendo que eu não gozaria com um boquete, ela se virou de costas para mim, e encaixou meu pau na buceta dela, e se sentou bem gostoso. Quando meu pau estava todo dentro dela, ela deu uma rebolada bem devagar, para se ir se acostumando com ele lá dentro, e bem devagar ela começou a quicar no meu pau, comigo segurando o cabelo dela e enchendo a bunda dela de tapa. Ela começou a aumentar o ritmo, louca pra me fazer gozar dentro dela.
Eu deitei ela na cama, e nem fiz muito esforço, e meu pau entro todo na buceta dela, com ela deitada de barriga pra cima, comecei a socar bem forte, com ela me arranhando todo, e pedindo pra eu socar cada vez mais forte, eu já estava louco pra gozar, porem ela pediu no meu ouvido pra eu comer o cu dela, ela simplesmente disse assim. Come meu cu bem gostoso vai.
Eu coloquei ela de lado, encachei meu pau na entrada do cu dela e fui enfiando bem devagar, ela gemia cada vez mais alto, ela arranhava mina coxa e falava que nunca tinha sentido tanto tesão na vida dela.
Eu não resisti por muito tempo aquele cu bem apertado, gozei, mas gozei com toda força dentro do cu dela, gozei tão forte que chegou a escorrer pela bunda dela.
Tomamos um banho, e como tínhamos mais algumas horas no motel, transamos no chuveiro, com ela na parede, de frente pra mim e meu pau totalmente encaixado na buceta dela. Soquei bem gostoso até ela lambuzar meu pau todo. Ela se ajoelhou, começou a me chupar, e pediu para eu gozar na cara dela dessa vez, e nem demorei muito para gozar. Gozei forte outra vez, tão forte que acabei gozando na cara no cabelo, em tudo.

Saímos do motel, levei ela em casa, ela não me deixou ir embora. Dormi lá. Sei que dormimos juntos e tivemos outras aventuras bem picantes.

igorhunsaker