"SANTA"

Fascinação, o que é fascinação? Algo que me causa arrepio na pele por este teu jeito de menina num corpo de mulher, que me enche de desejos. Não sei direito, mas, to achando que isso é a raiz de um amor.

VANIA….

VANIA….

Eu não era muito de sair, era o mais caseiro dos meus amigos, mesmo tocando pagode sempre preferi ficar em casa.

Certo dia uns amigos me ligaram, e disseram “hoje vamos gostar de um pagode e queremos você lá. Confesso que não queria ir, não por preguiça, mais sim porque eu gostava de estar em cima do palco, ou no meio das rodas de samba, porém resolvi ir.
Quando cheguei lá, meus amigos estavam em uma mesa, onde tinha algumas meninas com eles, e uma delas chamou muito minha atenção desde quando eu cheguei. Cheguei cumprimentei todo mundo, ainda meio tímido cumprimentei as meninas de forma bem tímida. Sentei-me no meu cantinho em um banquinho alto, e comecei a ver essa menina que gostei sambar, porra ela sambava e rebolava tão gostoso que eu estava babando, não sei se ela percebeu, só sei que do nada ela começou a sambar na minha frente.
Não sei mais todo pagode tem um intervalinho, onde rola uns funks, sim claro tem uns que não, tem uns que tocam samba mesmo. Deu intervalo e começou a tocar funk, aí que a coisa complicou, ela virou aquela bunda maravilhosa para mim e começou a dançar de forma bem provocativa, parece que ela já tinha percebido que eu já estava de olho nela. Sim eu fiquei babando pois ela era muito gostosa, na minha mente veio assim, se ela transar que nem rebola, ela vai me fazer gozar fácil. Ela olhava para mim, rebolava a bunda, e dava aquele sorriso safado, que desconcerta qualquer pessoa, não sei mais ali eu já estava imaginando besteira, até que acabou o intervalo, e minha tortura.
O pessoal do grupo voltou a tocar, e para me ferra de vez, começaram a tocar músicas românticas, sabe aquelas que você dança coladinho? Então essas músicas, e adivinha quem foi a única mulher que sobrou para dançar?
Vou tentar descrever um pouco da minha tortura. Ela tinha uns peitos que puta que pariu chamava muito atenção, ela tinha um corpo, que só de ver ela mexendo já me deixou louco. Sabe aquelas mulheres que tem a cintura fina, e a bunda e os peitos relativamente grandes? Então já deu para imaginar a tortura que estava sendo para mim naquele pagode rs.
Bom ela me chamou para dançar, e como eu era bem tímido, timidamente fui. Começamos a dançar, e para completar a tortura, ela estava tão colada, que a respiração dela estava me excitando.
Daí ela veio no meu ouvido e falou bem baixinho assim. Percebi que você estava louco me vendo dançar. E eu respondi, que não tinha nem como não ficar louco, que provavelmente não era só eu que estava olhando, porém ela respondeu assim. Eles podem até olhar, mas estava dançando para você, não sei se você percebeu, mais sempre que empinava, olhava para você, sabe por quê? Respondendo ela disse: é assim que vou rebolar pra você quando estiver de quatro pra você.
Acabou as músicas românticas e ela começou a ficar mais perto, conversamos um pouco, me soltei mais, então ela percebeu que eu era tímido e não bobo, não tínhamos ficado ainda, nem beijo tinha rolado, porem parece que já estávamos ficando a um tempo.
Percebi que toda vez que ela vinha falar algo no meu ouvido, além de vir sorrindo maliciosamente, ela relava sem querer querendo a mão no meu pau, que juro já não estava cabendo na calça, porem eu nem estava ligando, cara ela era muito gostosa, então com certeza qualquer cara ficaria excitado com aquilo.
Quando o pagode acabou, os meus amigos por tarem com as outras meninas falaram que iam cada um pra um canto, e eu fiquei com ela, e por ser educado ofereci carona. Ela olhou para mim e com um sorriso malicioso falou assim, aceito essa carona deliciosa.
Fomos para o meu carro eu como cavalheiro abri a porta para ela, e ela até sorriu e disse assim, olha não fazem homens assim mais, não faz isso que eu acabo me apaixonando. Ela morava um pouco afastado, ou seja, daria tempo de fazer muita coisa, e pra completar no caminho da casa dela, tinha uns motéis que eram motéis que eu tinha muita vontade de ir.
Fomos e no caminho rolou aquela pegação sabe, porra ela tinha pegada pra caralho e que beijo gostoso. Ela estava com uma blusa decotada, que estava realçando aqueles peitos maravilhosos. Todo sinal de trânsito que parávamos, ela me beijava, e ainda passava a mão no meu pau, pó pensa na tortura que eu estava sofrendo. Não podia desviar a atenção pois estava dirigindo, e meu pau estava tão duro que não estava cabendo na cueca. Chegando perto da casa dela, ela foi me ensinando o caminho, e juro que ela me fez passar em umas ruas escuras, e dado certo momento ela me pediu para parar porque queria me dar uns beijos. Paramos em uma rua bem escura, e ela simplesmente abriu a blusa e disse assim, vi que você não parava de olhar para os meus peitos. Como o carro estava parado, ela pegou minha mão e falou assim, não quero ver você só olhando, pega bem gostoso faz o que você quiser, não só peguei como chupei também. Beijo vai beijo vem, ela com a mão no meu pau, e minha mão percorrendo o corpo dela, teve uma hora que não resisti, e mesmo timidamente falei que estava louco para transar com ela. Ela sorriu mais uma vez daquele jeito que nem preciso repetir, e disse assim: achei que você não ia pedir. Ela me levou para um motel, e no caminho do motel ela foi me pagando o boquete mais gostoso que já recebi, estava difícil de segurar para não gozar, estava muito gostoso.
Quando chegamos no motel, escolhemos a suíte, e fomos. Chegando dentro da suíte, começamos a nos pegar na porta mesmo, estava difícil até para abrir a porta. Ela serrava a bunda no meu pau, de forma que para ela dava para sentir ele bem duro na bunda dela. Entramos na suíte, começamos a nos pegar, acho que ela ficou meia surpresa, pois eu mudei completamente da porta para dentro.
Eu não dei tempo nem dela jogar a bolsa em um canto. Peguei ela pelo cabelo enquanto nos bajamos, virei ela de costas para mim, dei nela um tapa na bunda, que ela falou uau.
Ela conseguiu dar uma escapada, colocou a bolsa em um canto e voltou para me beijar. Deitei ela na cama, e fui indo por cima dela enquanto nos beijávamos, segurando-a pelo pescoço, dando beijos com mordidas, e sabem ne aquela música de fundo dando aquele clima sexy ao momento. Ela me empurrou na cama e se levantou, e como estava rolando uma música bem calma aquela que dá até para fazer um stripper. Ela incrivelmente começou um stripper bem gostoso, tirando primeiro a blusa, que já estava toda bagunçada. Então ela virou de bunda e começou a tirar a calça, e na frente dela tinha um espelho, e do espelho estava dando para ver a cara de safada que ela estava fazendo, se deliciando entre, tira a sua roupa de forma sexy, e me ver não me aguentando de tesão. Dava para ver que eu passa a mão no pau, e mesmo por cima da calça já dava para ver o volume, ela estava se deliciando em me ver louco para sentir aquela buceta gostosa no meu pau.
Quando ela acabou o stripper, ela pediu para eu ficar em pé na frente dela, claro que eu fiquei, porém não sabia que era mais uma tortura. Ela começou abrindo minha calça, mas não tirou meu pau da cueca, ela simplesmente passou a língua nele ainda por cima da cueca, eu a peguei pelo cabelo e conduzi a cabeça. Daí ela tirou minha camisa e desceu beijando meu corpo, me arrepiando de um jeito que ninguém nunca arrepiou. Quando ela chegou na minha cueca novamente, ela sorriu e começou a tira ela bem devagar, e mais uma vez quando o meu pau saltou da cueca na cara dela, ela simplesmente disse uau.
Com a mão no cabelo dela ainda, puxei ela para cima, dei nela um beijo na boca, mais uma vez com a mão no pescoço dela, com a aquela mordida no lábio, e ainda teve aquele tapa na cara para mostrar quem manda. Peguei ela pela cintura joguei ela na cama e da mesma forma que ela me torturou fui torturando-a, desci passando minha língua em cada parte do corpo dela que fazia ela arrepiar. Chupando aqueles peitos gostoso e descendo explorando todo seu corpo. Quando cheguei no meio das pernas dela, ela já estava gemendo antes mesmo que minha língua tocasse a buceta dela. Dei uma parada, olhei ela nos olhos, mordi a parte de dentro da coxa dela, daquela forma que fez ela gemer bem gostoso, e comecei a chupar a buceta dela, sabe aquela chupada, que parece ser um beijo de língua? Então só que na buceta dela, fazendo ela me arranhar, e se contorcer, e como estávamos nessa pegação a muito tempo, não demorou muito ela falou que iria gozar, porém eu falei que ela só gozaria quando eu mandasse.
Virei ela de bunda para cima, deixando-a bem empinada, com uma das mãos eu dei nela um tapa na bunda e com a outra estava segurando meu pau. Fui encaixando o pau na buceta dela que já estava molhada, e eu ainda chupei, aí que ficou muito mais molhada. Pincelei a cabeça do meu pau na entrada da buceta dela, com ela dizendo a todo momento que iria gozar, e como eu estava na tortura falei que ela só gozaria quando eu deixasse.
Soquei o pau de uma vez com toda força e ela não resistiu e acabou gozando, e indo um pouco para a frente, e como eu estava com muito tesão também, soquei algumas vezes e sentir que iria gozar. Quando eu vi que iria gozar, peguei ela pelo cabelo, coloquei meu pau na boca dela, e fiz ela chupar, ela nem resistiu. Começou a chupar comigo segurando-a pelo cabelo bem forte, conduzindo o boquete de forma que eu gozasse bem gostoso na boca dela. Só que ela fez uma coisa que acabou me fazendo gozar mais rápido, ela simplesmente o engoliu, e quando tirou da boca, passou a língua na cabeça, quando ela fez isso, o primeiro jato de porra foi na cara dela, só que ela rapidamente colocou na boca e chupou até a última gota, porém ela achou que tinha acabado. Quando ela deixou meu pau bem limpo, eu fui para trás dela novamente sem tira a mão do seu cabelo, e coloquei o pau na buceta dela e comecei a socar o pau na buceta dela, bem forte, a ponto de fazer com que a buceta dela escorresse tanto que estava correndo pelas pernas dela.
Ela com a voz meio fraca de tesão olhou para mim e disse a frase mais gostosa de todas, deixa eu se sentar nesse pau vai. Pegamos uma cadeira eu me sentei, ela colocou minhas mãos para trás colocou meu pau na entrada da buceta dela, e foi se sentando bem devagar. Quando estava todo dentro, ela simplesmente falou assim no meu ouvido, estava louca para sentir esse pau todo dentro de mim do jeito que está.
Ela começou a quicar bem devagar comigo chupando os peitos dela e com ela rebolando de uma forma que estava me fazendo ir a loucura. Só que ela era filha da puta, toda vez que eu falava que ia gozar, ela rebolava devagar e quicava um pouco mais devagar, até que ela chegou no meu ouvido e disse assim, você só vai gozar quando eu mandar, e voltava a quicar bem gostoso no meu pau, porém gemendo no meu ouvido. Não demorou muito ela anunciou que ia gozar mais uma vez. Então ela quicou cada vez mais rápido, e confesso que estava difícil segurar para não gozar, ainda mais com aquele gemido no meu ouvido, impossível.
Quando ela disse vou gozar no meu ouvido não resisti e comecei a gozar também, porém ela gozou e se sentou no meu pau de forma que sua buceta engolisse meu pau todo. Então já sabe gozei tão gostoso dentro dela que porra não queria que ela levantasse. Porém como iriamos trabalhar no outro dia não podíamos ficar mais tempo lá. Tomamos um banho junto daquela forma meio carinhosa, e ela olha para mim e diz a seguinte frase. Se eu soubesse que você me faria de puta assim já teria saído com você a tempos.
Deixei-a em casa isso era umas 4 da manhã, e no outro dia ia trabalhar as 7 rs. Sim foi a noite mal dormida mais gostosa da vida.

igorhunsaker