"SANTA"

Fascinação, o que é fascinação? Algo que me causa arrepio na pele por este teu jeito de menina num corpo de mulher, que me enche de desejos. Não sei direito, mas, to achando que isso é a raiz de um amor.

TATIANA…

TATIANA…

Eu tinha uns 23 anos, era meu primeiro dia no meu primeiro emprego depois da faculdade, estava subindo o elevador quando entrou uma deusa e apertou para ir no mesmo andar que eu.

Alta, longos cabelos pretos, corpo perfeito e um sorriso que exalava simpatia.

-Você parece nervoso.

-Ah sim, é meu primeiro dia.

-Que legal, te desejo boa sorte. Disse isso antes de atender a uma ligação em seu celular.

Eu fiquei na minha, olhando discretamente aquela bunda gostosa empinadinha.

-Tchau ela disse quando chegamos no andar, mas após isso por coincidência entramos na mesma sala.

Fui para onde havia sido designado e enquanto fazia integração entrei numa sala toda vidrada e lá estava ela sentada atrás de sua mesa.

Era Tatiana, minha coordenadora.

-Olá menino nervoso, bem-vindo a empresa!

Eu devia ser uma das poucas pessoas do mundo que ia trabalhar feliz, eu tinha uma paixão platônica pela minha chefe, era ela linda, elegante, doce, simpática, tinha uma classe que poucas pessoas tem, falava com todos igualmente, sempre com calma e com simpatia, ficava imaginando com que roupa ela iria no dia seguinte, batia várias punhetas quando chegava em casa vendo as fotos dela em redes sociais, praticando ioga ou de biquíni na praia, eu até tinha ficantes na época, mas aquela mulher me fascinava, tinha 36 anos, casada. fazia um que havia virado coordenadora da empresa, nunca se estressava ou perdia sua serenidade e seu sorriso, droga seu sorriso, poderia parar uma guerra.

A nossa proximidade no trabalho era imensa, eu basicamente era assistente dela e fazia com prazer, ela podia me usar de gato e sapato que eu não estava nem aí, mas ela sempre era amável e gentil, as vezes chegava por trás de mim e eu pirava com seu perfume, as vezes ficava olhando para aquele espacinho entre sua camisa e a pele pra ver se conseguia ver mais dos seus seios.

Certo dia em uma reunião fomos informados que algumas pessoas da empresa teriam que viajar para um evento do cliente, todo mundo se empolgou pois apesar da alta carga de trabalho desse tipo de ocasião, sempre é bom viajar de graça, dessa vez seria em Pernambuco, seria toda a semana de implantação, porém hotel 5 estrelas na faixa para quem fosse.

Eu só pensava que ficaria uma semana sem ver minha deusa, porém eu não sabia o que a vida me reservava.

-Bom, como vocês sabem, semana que vem temos viagem e vou precisar de duas pessoas comigo. Disse Tatiana.

Uma das analistas sênior foi selecionada e não foi muita surpresa para ninguém devido a sua competência, mas a surpresa veio depois.

– ******** é o outro selecionado. No caso os asteriscos ali seria eu.

Fiquei surpreso, realmente não esperava.

– O que foi? Você agora é parte do time, vai ter que participar dessas atividades hora ou outra, a não ser que você não queira ir. Me questionou Tatiana.

– Não, opa claro, quero, quero ir sim.

E assim começou a minha aventura, eu ia viajar com a mulher mais linda que já tinha visto na vida e não estava acreditando.

– Bom, por hoje é só e vocês dois já podem ir fazer as malas.

Eu estava um misto de emoções, mal podia esperar o fim de semana passar para iniciar a viagem.

Foi um pouco mais turbulento do que eu imaginava, viajamos na segunda e foi pauleira total, muito trabalho e mal conseguíamos aproveitar as coisas que o hotel nos proporcionava, foi um ritmo insano até a sexta-feira, quando entregamos o que tínhamos que entregar ao cliente, participamos da reunião final e finalmente estávamos livres e a recompensa seria um belo jantar entre meu time e o cliente.

Fui para meu quarto, tomei aquele banho, coloquei minha roupa mais ajeitadinha e fiquei a esperar as meninas no hall do hotel para irmos ao jantar, a outra colaboradora que estava conosco foi breve em aparecer, já Tatiana demorou um pouco mais, mas a espera valeu a pena.

Ela apareceu linda em um vestido preto, daqueles que tem corte nas pernas e com alguns detalhes brilhantes.

– E então, você será meu acompanhante essa noite? Ela brincou, mal sabendo que isso seria um sonho para mim.

Fomos para o jantar, comida boa de graça, muita conversa fiada em certo momento distante de mim na mesa Tatiana olhou pra mim e levantou seu copo, respondi com o mesmo ato, após a sobremesa, rolou muita bebida e depois de algumas horas voltamos os 3 para o hotel travados de bêbados.

Tatiana nos parabenizou pelo trabalho e após isso cada um foi pro seu quarto.

Tomei um banho rápido, fechei as cortinas e me deitei nu na cama, estava cansado, porém sem o mínimo sono, estava pensando sobre a noite, até pensei em bater uma, mas estava muito preguiçoso, liguei a tv, peguei o celular e fiquei navegando, até que recebi uma mensagem inesperada no celular.

-Está acordado?

A chefe estava me mandando uma mensagem àquela hora?

– Estou sim chefa? Algum problema?

-Não, nenhum, estou com uma garrafa de vinho que ganhei do cliente aqui e estou sem sono, achei que a gente poderia beber e conversar um pouco, mas se não quiser não tem problema.

Achei estranho o tom dela, mas obviamente aceitei.

– Claro chefa, onde nos encontramos?

– Não precisa sair, estou indo bater aí, me dá uns minutos.

Corri para pegar uma bermuda e uma camisa, mas confesso que o pau já tinha dado uma endurecida.

Não demorou muito até que ela bateu na porta.

– Oi. Estava ela à porta com a garrafa de vinho e duas taças.

Foi novidade vê-la assim, estava com um “camisão” amarelo folgado, o ombro esquerdo ficava para fora da camisa e dava pra ver a alça preta do seu sutiã, pela luz dava pra ver que ela estava com um shortinho pequeno, porém não deu pra ver a cor no primeiro momento pois a camisa cobria, seu cabelo estava preso e ela estava bem à vontade.

-Entra. Eu disse ainda processando as informações.

Sentamo-nos no chão mesmo em frente à minha cama, ela serviu o vinho nas duas taças.

-Tim-Tim, ao sucesso. Brindamos, eu não conseguia tirar os olhos dela.

– O que foi? Me perguntou.

-Nada, respondi embasbacado.

Continuamos conversando e bebendo, ela falou sobre os mais diversos assuntos, me perguntava muitas coisas e estava tudo fluindo até que ela começou a abrir o coração sobre sua vida, um semblante triste tomou conta do seu rosto quando começou a falar do marido, deu a entender que era ausente, gostava muito de trabalho e dinheiro e não lhe dava a atenção merecida, depois mudou de assunto e seu semblante alegre apareceu novamente e o papo continuou.

– É você? Tem namorada? Me perguntou.

-Não, não tenho não.

-Ela ia ficar com ciúmes do jeito que você me olha.

-Como assim?

-Ah, você acha que não noto?

Essa me pegou de surpresa.

-Arrume uma namorada, alguém que você goste muito, trate-a como uma rainha e não a perca viu, você é um cara muito legal. Ela disse voltando a ficar com o semblante triste.

– Trate ela bem e não a deixe abandonada por causa de viagens de negócios e coisas assim. Disse ela com os olhos enchendo de água.

Eu coloquei a mão em seu rosto.

-Ei chefa, não fica assim, você é uma mulher incrível, linda, inteligente entre outras muitas coisas boas.

– Você é um fofo, me acha mesmo bonita?

-Claro, como não iria achar, você é linda.

– E gostosa, você me acha gostosa?

Nessa hora eu quase enfartei e meu corpo deu tilt.

-Hein, responde. Insistiu ela.

-Claro, acho você bem gostosa chefa.

-Ficaria comigo?

-Que papo é esse, chefa.

-Me chama de Tatiana hoje, me deixa ser sua, quero ser de um bom homem hoje, quero sentir o toque de alguém gentil e que me valoriza.

Ela colocou a mão na minha nuca e me beijou.

Foi singelo e quase não teve língua, mas ativou todos meus instintos mais primários, fui com tudo e retribui o beijo, só que dessa vez bem forte e molhado.

– É claro que ficaria com você Tatiana.

Já nos abraçávamos, o beijo seguia quente, com hálito de vinho, fomos ficando de pé até que joguei nossos corpos sobre a cama, fiquei por cima, passando minha língua bem lenta pelo seu pescoço, enquanto minha mão entrou por baixo da sua blusa e segurou seu seio.

-Me trate bem por favor.

Respondi dando mordidinhas em sua nuca, apertava com carinho seu seio ainda no sutiã, arrumei minha postura sobre ela, levantei um pouco sua blusa e agora era uma mão em cada seio, agora conseguia ver que a cor do seu short era preto.

-Ahnnnw.

Ela soltava gemidinhos tímidos, porém repetidamente, seu corpo era quente e suas mãos passeavam por todo meu corpo.

A carinha que ela fazia ao gemer era maravilhosa e o seu do seu gemido muito bonito, até o jeito que ela mexia o corpo era gostoso.

Voltei a beijá-la segurando em sua nuca, soltei, olhei nos seus olhos e voltei a beijá-la, era muito gostoso saber que eu estava dando esse tipo de prazer a ela e mais ainda saber que ela que me escolheu pra isso.

Sua respiração ficava cada vez mais forte, soltei seu cabelo e passeis minha mão por ele enquanto sentia seu cheiro, depois ainda deitados abri seu sutiã.

-Chupa. Ordenou Tatiana.

Como bom funcionário que sou tive que obedecer a minha chefe, porém antes dei uma bela massagem nos dois ao mesmo tempo.

Me foquei em sentir bem cada centímetro da sua pele em minhas mãos, fiquei um bom tempo massageando e sentindo aquelas tetas maravilhosas.

-Ahhnnnnnnn. Era um doce melodia o gemido dela.

Massageava, apertava, adorava aqueles seios, então decidi colocar minha boca pra trabalhar neles também, comecei a beijar o entorno, usa bem meus lábios sobre a pele, sugava e salivava neles, depois coloquei só a pontinha da língua a fazer movimentos circulares no seu biscoitinho e as vezes dar uma lambidinha leve no biquinho.

-AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH. Ela deu um gemido mais alto e seu corpo um grande espasmo.

Comecei a mamar no outro seio, babando muito, a saliva escorria enquanto me deliciava naquela maravilha.

Minha mão foi escorregando pelo seu corpo, barriga, umbigo, até chegar no meio das suas pernas, fui sentindo seus pelinhos da virilha em meus dedos, até chegar na sua buceta, meus dedos médios e anelar foram descendo, se abrindo, deslizando e fazendo um movimento de subir e descer nos lábios da sua bocetinha ensopada.

(“Seria um sonho?” pensou Tatiana em êxtase. Se questionava sobre o que estava fazendo com seu funcionário, mas não queria parar. Ele era um homem gentil e atencioso com ela, coisa que ela não tinha a muito tempo, havia se casado cedo, porém seu marido nunca foi intenso, o casamento era algo mais como um negócio para ele.

Pouco tempo depois de casar já se sentia negligenciada, o sexo era mecânico, sem graça. Ela começou academia, yoga e muitas outras formas para atrair a atenção do seu homem, porém sem sucesso, não sabia se ele tinha outra, mas seu foco era apenas trabalho. Tatiana queria mais, não só ser desejada pelos olhos gulosos de todos os homens que desejavam seu corpo perfeito, ela queria ser venerada, queria atenção, carinho, mas também queria calor, e seu novo funcionário despertava isso nela, sentiu muito tesão quando uma vez notou que ele discretamente tentava ver seus seios, nesse dia sentiu um calor que a muito não sentia e correu para o banheiro para ver que sua buceta estava pingando, se limpou, mas não sem antes massagear um pouco seu grelo.

-Meu deus o que estou fazendo?

Depois desse dia, até abria um botão a mais da camisa quando ia falar com ele.

Agora estava ali, louca de tesão, sentia coisas em seu corpo que não sentia muito tempo, os beijos, os toques, o calor, agora Tatiana se sentia como queira, como merecia, mas mais estava por vir e ela teve certeza disso quando sentiu os dois dedos do seu amante tocarem os lábios da sua buceta que transbordava.)

Ela pressionava minha cabeça contra seu corpo enquanto gemia mais e mais, fui fazendo os movimentos bem lentos na sua bucetinha.

-Aí, o que é isso, é muito gostoso.

Em contrapartida, chupava ferozmente seus seios agora, seus mamilos saltados recebiam uma surra das minhas lambidas que revezavam a tarefa com minhas mamadas.

-AHHHHHHHHHHHHHH, QUE DELÍCIA!! Ela agora já gritava sem o mínimo pudor.

Fiz uma mudança de movimentos dos meus dedos agora que já tinha certeza que ela estava bem lubrificada, juntei o dedo do meio com o indicador e fui entrando em sua grutinha, seu corpo deu um salto como se tivesse levado um choque, mas estava só começando, fiz alguns movimentos de vai e vem mas logo coloquei a ponta dos dedos a procurar seu ponto g e assim que o achei comecei a fazer movimentos circulares neles, hora lentos, hora mais rápidos, também aumentei a intensidade nas sugadas que dava em seus seios e com essa combinação ela começou a urrar, descontrolada.

-AHHHHH QUE DELICIA, AHHHHHHHHHHHHHHHHH EU NÃO AGUENTO AHHH EU… EU.. EU… AHHHHHHH !!!!.

E assim fiz minha chefinha gozar litros na minha mão.

(Tatiana nunca tinha se sentido assim antes, nem mesmo sem sua juventude, os orgasmos que teve foi como se um caminhão de prazer e delírios tivesse atropelado e esmagado todas as partes do seu corpo ao mesmo tempo. Mal conseguia pensar, tinha chegado ao êxtase máximo, como se tivesse ido ao paraíso por alguns momentos e depois jogada de volta ao mundo normal, sentia escorrer seu mel entre suas pernas como nunca, sentia seus mamilos saltados como nunca, a pele arrepiada e suada, se sentia plena.

-Que sensação maravilhosa.

Sentia a sucção no seu seio direito parar e quando abriu os olhos viu o sorriso do seu amante olhando em sua face.

-Tão fofo e tão safado. Ela pensou.

Conforme recobrava os sentidos recobrava também à vontade, puxou seu funcionário a seu encontro e instintivamente lhe prendeu em um beijo ardente e molhado.

Ele a ajudou a tirar sua blusa, deixando-a totalmente nua, o olhar bobo dele admirando a perfeição do seu corpo lhe trazia satisfação.

Virou seu amante de costas para a cama e ficou sobre ele e lhe despiu, teve o primeiro vislumbre do seu membro pulsante e não hesitou em segurá-lo

-Parece uma rocha. Ela disse enquanto apertava o pau, tentava apertar na verdade, ela tão duro, porém muito satisfatório sentia suas veias pulsando enquanto o prendia em suas mãos.

Ela salivou, queria abocanhá-lo, porém sentiu algo mais, o calor entre suas pernas, o tesão que já lhe subia a consciência era mais forte que sua vontade de chupar.
Sem soltar aquele caralhaço, encaixou em sua boceta que já escorria meu novamente e se sentou, engolindo todo aquele membro com sua xota.

-Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh.

Tatiana se sentiu completa, mesmo que fosse só fisicamente, aquele pau a fazia se sentir viva e ela queria ser isso, queria ser uma puta para aquele homem que agora ela devorava.
Não conseguia parar de pensar o quanto aquele membro era quente e duro e que aquilo era algo fora do normal, segurou seus seios e começou a se divertir.)

Tatiana se sentou no meu pau, foi delicioso sentir a cabeça da minha rola deslizando pra dentro daquela buceta quente e molhada.

-Vou acabar com você.

-Vai safada. Respondi dando uma tapinha em sua bunda.

Ela segurou nos próprios seios, de maneira bem sexy, as vezes puxava os biquinhos, as vezes os amassava e nisso ia cavalgando na minha pica bem gostosa.

Dobrou os braços embaixo dos seios, deixando-os bem arrebitados pra mim, era divino ver aqueles biquinhos saltados apontando pra mim, tentei segurá-los, mas ela deu um tapa e não deixou, estava mais solta, estava curtindo o momento.
Começou a sentar, subir e descer, já num ritmo médio que me levava a loucura.

OHHHHHHHHHHHH, HUNNNNF, OHHHHH.

Eu urrava de prazer, era delicioso ouvir os sons dos nossos corpos se chocando, ainda mais que sua buceta estava toda molhada novamente, ouvir o som e sentir os fluidos caindo em minha pele só me deixava mais louco, segurei em sua cintura enquanto ela ia subindo e descendo, ela inclinou o corpo, deixando eu abocanhar um pouco seus peitos novamente, cruzei os braços sobre suas costas assim, agora não era ela que sentava e sim eu que coloquei meus quadris para trabalhar , fodendo-a violentamente.

-AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH AHHH AHHH ME FODE SAFADO.

E assim o fiz, colocava minha rola pra dentro com toda força e velocidade que eu tinha, larguei meus braços de suas costas e pousei minhas mãos em sua bunda, porém sem pensar em parar de penetrá-la.

Ela subiu novamente, virou de costas e segurando a base do meu pau com sua mão começou uma nova sessão de sentadas só que agora de costas.

-GOSTOSOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.

Ela havia mudado, minha chefe tão cheia de recato agora se sentava safadamente no meu pau gemendo alto e pedindo mais.

Eu a coloquei de cachorrinho na cama, forçando sua cabeça pra baixo, ela gritou, encaixei a rola e comecei a meter.

-Agora você é submissa a mim.

Parece que quando eu disse isso ela conseguiu ficar ainda mais molhada, dei três tapas com a mão bem aberta em sua bunda

-Me diz safada, você é submissa a mim?

-Sou meu amor é claro que sou.

(Tatiana tinha feito daquela rocha dura seu playground, cavalgou de frente, sentou-se de costas estava maravilhada nunca tinha tido um pau tão gostoso, subitamente havia mudado de posição estava agora com o rosto contra a cama com as mãos apertando o lençol e com a bundinha empinada para seu macho.
“Agora você é submissa a mim”.
Ouvir isso lhe trouxe uma nova onda de tesão, agora era submissa, era a putinha safada do seu funcionário, isso era novo para ela e ela estava adorando.)

Sua bunda era maravilhosa, a marquinha de biquíni me dava um tesão a mais, bombava minha pomba com vontade, estava realizando um sonho, mas também estava com um tesão incontrolável, segurei na sua cintura e aumentei a pressão das minhas estocadas. Ela só gemia cada vez mais, de olhinhos virados se deliciando.

-UHHNNNHHHHHHNHHN AHHHHHH AHHHHHH QUE PAU GOSTOSO DELÍCIA.

Botei mais pressão, apertava com mais força sua cintura, coloquei tudo que tinha naqueles movimentos, agora ela gritava, babava falava coisas que não dava pra entender e logo puder sentir todo seu meu ensopando meu pau mais e mais, quente e gostoso.

Já tinha gozado nos meus dedos, agora gozou no meu pau.

Tirei meu pau de dentro e sem perguntar nem nada enfiei no seu cuzinho. Sentia sua respiração parar por um instante e empurrei tudo para dentro, ela fez um barulho estranho misturando dor e prazer, era apertado, muito apertado, mal consegui fazer dois movimentos, foi muito para mim e logo eu gozei, uma jorrada de verdade, enchendo aquele cu de porra.

(Agora o mundo de Tatiana tinha virado de ponta cabeça de vez, já estava desfalecendo quando se sentiu empalada por aquele membro, nunca tinha feito anal, nunca tinha sentido aquela sensação, não sabia como descrever, não sabia o que pensar, foi breve, mas lhe trouxe mais prazer que incomodo, agora se sentia uma verdadeira puta e isso era o que ela mais queria sentir e foi revigorante sentir todo aquele leitinho quente preenchendo seu rabinho)

Respirei fundo, estava esgotado, quando dei por mim, vi aquele rostinho satisfeito olhando para mim com os cabelos jogados na frente, pernas agora esticadas com minha porra saindo do seu cuzinho, ela virou de frente e ficou me olhando.

-Meu deus chefa, como você é perfeita.

Ela deu um sorriso meigo.

Queria me puxar para mais um beijo, mas eram os outros lábios que eu queria e quando abocanhei sua boceta ela deu um gritinho, comecei a beijar sua bucetinha, lamber devagar, era delicioso fazer isso depois dela ter gozado tanto.

-Como pode você ser tão gostoso? Ela me perguntou antes de voltar a gemer novamente.

-Você gozou com a mão, com a pica agora tem que gozar com a boca também.

E ela queria, se arreganhou mais para que eu pudesse realizar minha missão, agora eu lábia e chupava seu grelinho com carinho, movimentos lentos mais com pressão, as chicotadas de língua no seu grelinho apareceram, foram ficando mais rápidas e ela não demorou a gozar, seu corpo deu um espasmos demorado e depois se aquietou, ela arfava na cama, ofegante como se tivesse passado a noite correndo, eu estava com todo seu gozo na minha barba, o cheiro me enlouquecia, ela estava acabada e eu muito feliz.

(“Eu não sinto mais nada”, Tatiana não conseguia conectar pensamentos, apenas se permitiu sentir, a noite lhe trouxe um tsunami de sensações prazerosas que nunca havia tido na vida, estava acabada, cansada, mas plena como nunca em sua vida, mal conseguia mexer os olhos, mas sabia que toda sua vida tinha valido a pena só por causa daquele momento.)

Me abracei com ela.

-Chefe…

Ela apenas consentiu com a cabeça, nos abraçamos mais forte e dormimos, exaustos, bêbados, mas plenamente satisfeitos.

No dia seguinte acordei sozinho no quarto, Tatiana tinha deixado uma mensagem no meu celular poucos minutos antes, havia voltado a seu quarto para se arrumar, porém ia deixar sua calcinha de presente da noite inesquecível.

Já passava do meio-dia, já tinha deixado minhas malas prontas no dia anterior então não tive problemas com isso, tomei uma ducha e depois vi que tinha várias mensagens da outra colega de trabalho perguntando de mim sendo que logo a van que nos buscaria estaria chegando.

No hall do hotel encontrei com as duas, Tatiana radiante e gentil, me tratou como sempre, ninguém suspeitaria que tínhamos trepado selvagemente na noite anterior, fomos embora para o aeroporto e como ficou minha relação no trabalho depois disso?

Talvez um dia eu lhes conte.

igorhunsaker