No bar do restaurante, aguardava por um grupo para um almoço de negócios.

Mas houve um contratempo e o almoço foi cancelado. Como já estava lá e com fome, resolvi comer sozinho. Sentei-me a uma mesa e, ao lado, havia uma jovem sozinha. Me acomodei e quando estava olhando o cardápio ouço uma voz feminina e linda ‘Belos muranos’. 

Eu estava usando uma pulseira de pedras legítimas de cristais de Murano e achei surpreendente o comentário. Acabei sorrindo e perguntando como ela sabia que eram muranos. A conversa ia se desenvolvendo até que ela perguntou se eu não gostaria de mudar para sua mesa, já que ambos estávamos sozinhos. 

Eu aceitei e a atração mútua se fez evidente. Ela era uma médica, disse-me que seu consultório era ali perto e perguntou se eu não gostaria de conhecer os vasos de murano que acabara de adquirir para a decoração. Transamos na sua mesa de trabalho, mas tivemos o cuidado de tirar o vaso para não quebrar. 

Nunca mais nos vimos. Tenho a pulseira até hoje e sempre lembro desse encontro inusitado quando olho para a pulseira.